10 de fev de 2012

Amar muitas vezes...

"As pessoas me perguntam se alguém pode amar muitas vezes. Sim podem, pois o amor tem muitas faces, formas e conteúdos. Mas o amor que arrebata todo o ser, que inebria a alma, que faz a pele se tornar uma com todo o ser, e que faz a loucura ser bem- vinda...como se fora sensatez, sim esse amor só acontece uma vez, e poucos visitaram sua morada.
...Os que de lá saíram, nunca de lá se afastaram...Pois esse lugar se instala na alma e impede que o mundo continue a existir...qualquer outro mundo.
Os que tentam viver outra vida depois disso...sofrem e não sabem mais fingir.
Quem tentar suportar a carga desse ser que vive sobre o presídio desse amor, ganhará patadas, mesmo sem merecer e se sentirá estranho e desprezado, mesmo que entregue todos os seus bens por ele, pois esse amor não está a venda e nem se impressiona com hotéis, viagens, riquezas e honrarias....
Uma choupana serve eternamente aos confortos desse amor. Se o outro estiver ao lado, como ao lado sempre está, pois vive ao lado esquerdo, onde até o cosmos se ajeita confortavelmente, visto que no coração as estrelas ainda ficam menores que no céu...Nada há maior que o lugar do amor, e ao mesmo tempo nada é mais apertado do que ele...
...Gostaria de poder dizer que é possível amar com o mesmo amor muitas vezes...MAS NÃO CREIO...E os que dizem que assim amaram durante a vida e que muitos foram os seus amores, recebem minha ironia e descrença, pois esse amor é único e nunca saberemos se a pessoa com quem estamos é realmente a representação desse amor...a não ser com o caminhar da vida...
Esse amor é irrepetível...E quem um dia o beijou achará todos os outros lábios que encontrar frios como gelo...E quem não quizer sofrer, não beije quem já beijou e foi beijado por esse amor!
...Seu bem não tem cura...


E quem sofre dele tem que abraçá-lo como dor, bem no meio do peito, e entregá-lo a Deus, a fim de que esse amor seja pura felicidade, mas nunca sem dor"

Nenhum comentário:

Postar um comentário