13 de set de 2011

Realidade


Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda num recipiente sujo. 
...Ela não queria, depois não podia...E mais a frente não conseguia...




"Nem tudo é como vocÊ quer, nem tudo pode ser perfeito, pode ser fácil se você vê o mundo de outro jeito, se o que é errado ficou certo as coisas são como elas são...Se  não faz sentido discorde comigo não é nada demais..." 
(Não olhe pra trás- Capital Inicial) 

...Apaixonar-se já não era tão simples, não bastava conquistá-la...Havia algo que o tempo ainda não tinha cicatrizado, mesmo que cada vez tornava-se mais distante...As lembranças volta e meia, tocavam a campainha...A abraçava, perguntava como tudo estava...Quando a lembrança vinha só ainda era bom, mas quando estas vinham acompanhadas, tornavam a situação mais embaraçosa que de costume, era como sem palavras ele dissesse..."VOCÊ NÃO FOI NADA PRA MIM..."
Vai ver que ela tentou tanto apaixonar-se novamente, que acabou calcificando seu coração, e o que tinha que sair de todo jeito de lá, acabou ficando preso...E isso a fazia ficar com muita raiva, quanto mais tentava fugir mais o destino fazia a questão de aprontar uma armadilha...O que foi amor um dia transformou-se em algo desnecessário e que a sufoca.

"...É preciso "desapaixonar-se", continuando com o coração aberto para que tudo de ruim saia, tendo cautela e não permitindo a entrada de uma paixão enquanto este não estiver totalmente desintoxicado..."

"A minha experiência
Meu pacto com a ciência
Meu conhecimento
É minha distração..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário